A Casa da Árvore

Comentários

  1. Os livros me consomem. Os cães são os que têm tempo para mim. E ando lendo muito, ando lendo Maíra.

    Comentário por Fabiana Pavarini — 14 de maio de 2013 às 21:29

  2. Engraçado como seus textos sempre me encontram. Sempre se encaixa em meus momentos, minha vida, minhas dores, amores e sorrisos. Me sinto assim, num mundo onde quem me entende são apenas as palavras…
    Lindo! Como sempre… beijos

    Comentário por Cyntia — 15 de agosto de 2012 às 9:43

  3. Ismália – “Quando Ismália enlouqueceu, Pôs-se na torre a sonhar… Viu uma lua no céu, Viu outra lua no mar. No sonho em que se perdeu, Banhou-se toda em luar… Queria subir ao céu, Queria descer ao mar… E, no desvario seu, Na torre pôs-se a cantar… Estava perto do céu, Estava longe do mar… E como um anjo pendeu As asas para voar… Queria a lua do céu, Queria a lua do mar… As asas que Deus lhe deu Ruflaram de par em par… Sua alma subiu ao céu, Seu corpo desceu ao mar…” (Alphonsus de Guimaraes)

    Comentário por Cintia — 15 de agosto de 2012 às 5:53

  4. Não consegui terminar de ler a crônica. Vou deixar para depois. Assim que me recuperar do trecho que me fez perder a coragem de continuar lendo. Soou tão direto pra mim. Sei que não foi, mas é como se tivesse tirado da minha cabeça. rs Bom, vou voltar lá agora, e terminar de ler!

    Comentário por Glaucia Ferro — 15 de agosto de 2012 às 5:51

  5. maira, adoro quando entro no seu site e tem texto novo! me encontro nas suas palavras! adoro seu trabalho!!! gostaria de te conhecer algum dia!

    Comentário por alessandra damata — 4 de agosto de 2012 às 6:25

  6. maira, seu trabalho é lindo!! mandei o link do seu site para que meu professor visse suas cronicas e ele simplesmente adorou!! falou até em trabalhar o seu livro na nossa escola!! parabens pela sua obra e sucesso em seu caminho!

    Comentário por Valter J. — 1 de agosto de 2012 às 6:29

  7. maira, vc foi mto atenciosa comigo autografando o livro e a camiseta! adorei te conhecer! beijos!!

    Comentário por Tati — 1 de agosto de 2012 às 6:16

  8. Chorei!

    Comentário por Flavinha Gomes — 23 de julho de 2012 às 5:49

  9. Lindo. Senti meus sentimentos traduzidos nessa linda crônica.

    Comentário por Lucimara Cabral — 22 de julho de 2012 às 5:51

  10. adoro seus poemas, textos, tudo o que faz!! suas musicas no teatro magico sao as mais lindas!!! brilhe onde estiver!!

    Comentário por vilminha — 15 de julho de 2012 às 6:17

  11. Maíra, devolva meu fôlego. (:

    Comentário por Rafael Kyoto — 15 de julho de 2012 às 5:48

  12. Maíra, primeiramente, parabéns! Falo aqui de Porto Velho/RO! Conheci seu trabalho através da internet mesmo. Li a frase “Eu sinto que sei que sou um tanto bem maior” num profile de orkut. Achei isso maravilhoso… e joguei no Google! rs… Foi assim que descobri Pena, e descobri o Teatro Mágico, e descobri você e suas palavras! Tornei-me fã, admiradora e ando me alimentando muito de tudo o que é relacionado a vocês. Tenho seu primeiro livro, emociono-me sempre! E divido meus incríveis “achados” com os amigos mais queridos – e dispostos!. “Salvar nossa fé em disquete” dá vontade de tatuar na pele, de tão significativa. Obrigada Maíra, brilha daí que a gente se ilumina daqui! Adoro vocês!

    Comentário por Augusta Ramalho — 29 de junho de 2012 às 6:28

  13. Maravilhoso Maíra! Me relfeti nessas palavras. Fato.

    Comentário por Carla M. — 27 de junho de 2012 às 5:55

Deixe um comentário


Fechar esta janela.

0,275 Powered by Wordpress