S.O.S – Alguém me ajuda?

Estou aqui na caverna concentrada na produção do terceiro livro da série “O Teatro Mágico em Palavras”. A primeira etapa é a escolha das músicas que vão ser trabalhadas como fonte de inspiração para as novas crônicas. Estão valendo todas as canções presentes nos álbuns “A Sociedade do Espetáculo” e “Grão do Corpo”. Essa seleção é bem difícil porque cada melodia e cada letra me tocam o coração de alguma maneira. No entanto, estamos falando de um conjunto de 30 músicas! No livro, entrarão apenas 18! Oh, céus!

Bom, depois de muito franzir a testa e coçar a cabeça, pensei: tem uma galera que pode me ajudar!

Se você está aí me lendo, é provável que seja uma dessas pessoas com quem eu posso contar nesse momento tão delicado… E delicioso, afinal, trata-se da gestação de um novo livro! Sendo assim, se você quiser participar dessa seleção junto comigo, me escreva contando que canção – pertencente aos álbuns “Grão do Corpo” ou “A Sociedade do Espetáculo” – você acha que deve entrar no livro “O Teatro Mágico em Palavras III” e por qual motivo. Você pode contar uma história de vida que envolveu a música em questão, pode comentar o que pensa e sente ao ouvi-la e daí por diante.

O e-mail oficial para responder a essa enquete é: maira@agenciadolivro.com.br.

Para quem não sabe, a série de livros “O Teatro Mágico em Palavras” nasceu de um encontro. Em abril de 2014, eu estava vivendo na cidade de São Paulo há 8 meses apenas e tudo era novidade aos olhos da pernambucana que saiu de Recife em busca de seus sonhos. Eu morava sozinha, num quartinho alugado na casa de uma senhora e mantinha um blog na internet onde publicava algumas crônicas e reflexões sobre a vida. O Fernando, por sua vez, depois de muitos perrengues e voltas da vida havia conseguido gravar um cd que há muito não saía de sua cabeça: “O Teatro Mágico: Entrada para Raros”. Ele estava às voltas com a organização de algumas apresentações de lançamento e teve a ideia de entrar no google para saber se já existia alguma coisa no Brasil intitulada pela expressão “O Teatro Mágico”. Esse termo fora tirado da obra literária “O Lobo da Estepe”, do escritor alemão Hermann Hesse.

Era o livro preferido do Fernando! E era também meu livro de cabeceira. Por isso, certa vez, publiquei em meu blog uma crônica onde eu dizia que gostaria de receber um convite raro para adentrar num “Teatro Mágico”, espaço onírico da obra do Hesse. E esse texto aparecia no google como um dos links indicando o uso da expressão em questão. Foi quando o Fernando deu de cara com meu blog e, depois de ler um pouco de tudo, deixou-me um recado simpático falando de seu “Teatro Mágico”. E tudo começou! Depois de alguns atropelos, consegui ir a uma apresentação dele em Santa Cecília e, ao final do show… Eu fui embora sem falar com ele! Risos! Tudo me encantou tanto que… Me faltaram palavras!

No entanto, mandei um e-mail com minhas impressões interiores de seu trabalho e recebi como resposta uma intimação: “A gente precisa se conhecer”. Bom, lá fui eu de novo, 15 dias depois, para Santa Cecília. Dessa vez, fiquei para os cumprimentos pós-apresentação e finalmente nos re-conhecemos. Costumamos dizer que: “Nesse dia, nós nos adotamos”.

E papo vai, papo vem, ele me lançou outro convite. Colocou em minhas mãos o CD “Entrada para Raros” e pediu que eu escrevesse uma crônica para cada canção! Segundo ele, minhas palavras tinham muito a ver com sua poesia e nós poderíamos aproveitar o site do TM para abrigar uma nova sessão intitulada “O Teatro Mágico em Palavras, por Maíra Viana”. E chegando em casa, pela primeira vez, escrevi com um propósito – sentindo a escrita não apenas como um instante de divertimento e hobby, mas como algo maior, embora racionalmente eu jamais pudesse imaginar que a partir dali a minha vida se transformaria.

Sete dias depois, o Fernando recebia em seu e-mail 19 textos inspirados nas 19 faixas de seu primeiro disco. As crônicas realmente entraram no site, o que me deixou muito feliz. Mas, isso foi em 2004. Muita água rolou por debaixo da ponte e só em 2007, com o TM já consolidado, o primeiro livro da série – e da minha carreira como escritora – surgiu. Tive um grande apoio do Gustavo Anitelli, que a essa altura estava à frente do projeto no escritório enquanto eu era a produtora de shows na estrada com a banda. O Fernando também me incentivou a realizar esse sonho e, com o apoio vital do Seu Odácio e sua fabulosa “Lojinha TM”, o livro se tornou um sucesso de vendas.

Em 2010, escrevi e lancei o segundo volume da série, dialogando com as canções do segundo disco “O Segundo Ato” e agora, em 2014, devo produzir o terceiro, com a ajuda e palpite de todos que curtem a banda! Paralelo a isso, escrevi outros livros lançados por editoras e hoje sou, além de produtora cultural, uma escritora em ebulição, sempre pensando vinte livros ao mesmo tempo! Rs! Sou uma autora inquieta e intranquila, assim como tudo que escrevo! E tenho no Fernando, meu maninho, a inteligência sensível da criação em parceria, a melodia que dá sentido às minhas palavras e uma irmandade que vai além! Somos do mesmo planeta! Ufa!